Empresas sérias e bem sucedidas têm suas normas e regulamentos estabelecidos através de regimento interno

Data driven, big data, analytics, métricas. São diversos os termos que se popularizaram no mercado no último ano, mas que possuem um propósito em específico: o uso de dados para potencializar os negócios.

As empresas do século XXI estão cada vez mais buscando por tendências e mudanças no seu meio corporativo como forma de responder as rápidas transformações que a globalização, a ciência, os avanços tecnológicos e a revolução 4.0.

Cabe mencionar que embora ocorram grandes interferências na arte de administrar e gerenciar empresas e pessoas, vale destacar que as instituições e os colaboradores devem primar por uma sociedade mais igualitária, humanizada e, acima de tudo, sustentável. 

Com base nisso, verifica-se que as empresas trabalham sobre um forte teor de normas, regulamentos e sanções administrativas para estabelecer uma convivência harmoniosa entre colaboradores e empregadores.

Estabelecendo, portanto, um regimento interno como forma de implantar um ambiente saudável e harmonioso entre todos os envolvidos. Para RRV Advogados [s/d], o regimento interno é “o documento é essencial para o bom funcionamento do negócio e para dar mais clareza aos funcionários sobre os processos e rotinas internos”.

Vale lembrar que o mesmo deve ser criado, respeitado e mantido com base nas leis trabalhistas e segundo a missão, os valores, visão e o planejamento estratégico da empresa. Segundo CWR Online [s/d], “é possível estabelecer o que é esperado do funcionário no ambiente de trabalho, evitando possíveis constrangimentos e tendo embasamento para aplicar advertências ou elogiar a conduta”. De acordo com esse pensamento, é válido destacar que:

A lei confere à empresa o poder normativo, como consta no art. 444 da CLT, ressalvando, entretanto, a impossibilidade de criação de normas que sejam contrárias à lei, aos instrumentos normativos e aos atos das autoridades competentes. O regulamento deve ser redigido de forma clara e objetiva, de preferência com o apoio de um consultor jurídico experiente. A empresa deve disponibilizar o arquivo para todos os funcionários, garantindo sua leitura e seu cumprimento ( RRV Advogados, [s/d]).

Normas e condutas dentro das empresas

O meu posicionamento quanto as normas e condutas dentro das empresas é que sou favorável ao regimento interno como forma de solucionar os vários problemas das organizações para que todos possam agir eticamente e moralmente em uma sociedade cada vez mais caótica e desumana.

Para que todas as normas, regulamentos e sanções possam ser estabelecidos de forma criteriosa e justa devem ser construídas por todos, não deve ser imposto de forma alguma e sim conscientizar os membros em coletividade através de palestras, cursos e treinamentos criando assim uma filosofia pautada em um embasamento humanitário regido por uma convivência harmoniosa e respeitosa entre todos os envolvidos, devendo a empresa acolher, respeitar e valorizar seu colaborador, como aponta Santos ( 2021) ao afirmar que:

O funcionário é um bem da empresa, é o capital intelectual e, portanto, deve ser valorizado como um patrimônio da mesma. Um profissional quando é bem remunerado e valorizado por seu talento, sua personalidade e singularidades, ele produz mais e cada vez melhor, sendo assim uma pessoa mais feliz, sendo reconhecida por suas competências, habilidades e atitudes.

Nesse sentido, as empresas para humanizar e tornar-se sustentável devem conhecer seu colaboradores que são cidadãos, que através de seus direitos e deveres, precisam cultivar e consolidar cada vez mais o amor, solidariedade, a ética, a moral, os valores, a empatia, a fraternidade, os princípios da cidadania, dentre outros aspectos. Lembrando que para uma empresa seja cada vez mais humanizada e sustentável é necessário que:

Saiba analisar o novo cenário onde atua ou pretende atuar. Que identifique e analise quais serão suas reais oportunidades e ameaças como também os desafios e mudanças. Para que as organizações em pleno século XXI possam vencer todos os obstáculos com autonomia. Por meio de uma postura resiliente, se perpetuar no mercado com liderança, qualidade, eficácia, competitividade e com total sustentabilidade ( SANTOS, 2017).

Portanto, as empresas da atualidade devem recrutar, selecionar e reter seus talentos com sabedoria, focando em competências socioemocionais, sem esquecer as hard skills, com base nas mais relevantes soft skills como destaca Santos ( 2021) ao apontar que as mesmas são:

“São competências comportamentais, habilidades e atitudes, dentre elas: inteligência emocional, flexibilidade, liderança, comunicação, trabalho em equipe, negociação, etc”.

Com estas características, empregadores e colaboradores terão mais felicidade, sucesso e muito mais resiliência em suas relações interpessoais e nos seus empreendimentos.

Agora que você já sabe das normas e regulamentos estabelecidos através de regimento interno, que tal aprofundar seus conhecimentos com o nosso artigo sobre 4 maneiras de fazer a transformação digital nas empresas?

REFERÊNCIAS

CWR Online. A importância das normas de conduta para colaboradores. [s/d]. Disponível em:. Acesso em: 29/03/2022.

RRV Advogados. Regulamento interno: para que serve e por que é tão importante?.[s/d]. Disponível em: . Acesso em: 31/03/2022.
SANTOS, Lucília. Os novos desafios da gestão de pessoas (2017). Disponível em: . Acesso em: 30/03/2022.
__. A tecnologia e o mercado de trabalho: o profissional do futuro (2021). Disponível em: . Acesso em: 31/03/2022.

__. Em tempos de crises, a melhor alternativa é valorizar o colaborador ( 2021). Disponível em: <https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/a-melhor-alternativa-e-valorizar -seu-colaborador/. Acesso em: 01/04/2022.

Este conteúdo foi desenvolvido pela por Lucília Santos*

*Master Coach Trainer e Especialista em Coaching de Excelência. Formações Internacionais em Business Trainer Essentials, Formação Missão Trainer e Formação Treinador Comportamental pelo Instituto Lyouman e Professional e Self Coaching, Leader Coach, Analista Comportamental e Analista em 360º pelo IBC. Formação em Master Trainer Empresarial em Gestão do Tempo e Produtividade pelo Eto Institute, Formação de Mentores pelo Instituto Vida Fera e Mentoring pelo Instituto Holos de Qualidade.

Coautora do livro ” O sentido e a busca da felicidade” da Editora Conquista e escritora do E-book Superdicas para alcançar suas metas com sucesso pela Hotmart. Graduada em Coaching e Mentoring, Pedagogia e Psicopedagogia aplicada à Educação. Especialista: MBA em Liderança e Coaching, Neuropsicologia, Psicopedagogia Clínica, Institucional e Hospitalar, MBA em Gestão de Recursos Humanos e Neuropsicopedagogia Clínica.

Atenciosamente,

Fonte: Márcio Braz (Legislação Contábil) RH Portal 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preciso de ajuda? Converse conosco